Aluguel sem fiador? Conheça as vantagens do Seguro Fiança Locatícia

aluguel-sem-fiador-seguro-fianca

Fonte: CNN Turk.

Muita gente não sabe, mas hoje é possível alugar um imóvel sem precisar de fiador. A imagem desse indivíduo, que serve como garantia ao dono da propriedade, tem se tornado cada vez mais rara, o que somado à falta de tempo em encontrar uma “boa alma”, fez do Seguro Fiança Locatícia a solução ideal para quem precisa de um lugar onde morar sem enrolação.

Previsto em lei, o serviço pode ser contratado para fins residenciais, comerciais e não residenciais. Nessa modalidade, também conhecida como Seguro Aluguel, é uma corretora quem desempenha a função do fiador. Assim, após a aprovação do crédito do inquilino, a empresa assume a responsabilidade de pagar o aluguel diretamente ao locador caso o contratante não o faça.

Quem define a abrangência da cobertura é o responsável pelo imóvel. No entanto, o interessado pode se informar sobre as proteções a fim de negociá-las. O custo oscila entre uma a duas vezes e meia o valor do aluguel. A variação depende de fatores como a seguradora, as coberturas contratadas e o perfil do locatário.

Trata-se de uma medida altamente pertinente, que pode facilitar a vida de todos os envolvidos. Saiba mais a seguir.

Vantagens do Seguro Fiança Locatícia

vantagens-seguro-fianca-locaticia
Fonte: CNN Turk.

Neste tipo de negócio não é somente o inquilino que se beneficia. Os proprietários dos imóveis e até as próprias imobiliárias saem ganhando.

Vantagens para o locatário

  • Maior flexibilidade na aceitação de sua proposta;
  • Agilidade na aprovação do contrato de locação;
  • Possibilidade de parcelar o valor do prêmio em vários meses;
  • Possibilidade de ter assistência jurídica da seguradora;
  • Sem necessidade de desembolsar o equivalente a 3 vezes o valor mensal do aluguel, como acontece na caução;
  • Economia de tempo e independência para começar o negócio;
  • Fim da preocupação e do constrangimento em encontrar um fiador.

Vantagens para o proprietário

  • Processo de locação mais rápido;
  • Garantia do recebimento do aluguel e encargos;
  • Agilidade no recebimento dos ressarcimentos cabíveis;
  • Possibilidade de coberturas adicionais;
  • Maior segurança sobre o imóvel;
  • Apoio (da seguradora) em casos de ações judiciais.
  • Tranquilidade por saber que o negócio está nas mãos de profissionais capacitados.

Vantagens para a imobiliária

  • Certeza do recebimento do aluguel;
  • Processo de locação mais rápido;
  • Menos trabalho, uma vez que as análises necessárias são feitas pela seguradora;
  • Redução de custos na operação;
  • Maior possibilidade de fechar negócio.

Seguro Fiança Locatícia com condições especiais

Está sem fiador para alugar o imóvel que precisa? Não se preocupe!

Confira as condições imperdíveis da Imobiliária Gabriel para o Seguro Fiança Locatícia:

  • Valor: Aproximadamente 1 aluguel anual dividido em 11 vezes. Se o aluguel for de R$ 800,00, por exemplo, haverá um adicional (aproximado) de R$ 70,00 mensais do seguro, somando, então, apenas R$ 870,00.
  • Vale destacar que, pelo mesmo serviço, o mercado costuma cobrar até 2,5 (duas vezes e meia) a mais sobre o valor do aluguel. Seguindo o exemplo, ele sairia de R$ 800,00 para cerca de R$ 981,00.
  • Benefícios: Descontos em espetáculos culturais e assistência de qualidade em manutenção (desconto em transportadoras conveniadas; vidraceiro; chaveiro 24 horas; limpeza de caixa d’água; reparos de eletrodomésticos da linha branca; instalações diversas como varal, prateleira, cortina e ventilador de teto) – tudo isso antes mesmo de você ter se mudado para o imóvel alugado!

Aproveite esta oportunidade única!

Para mais informações basta entrar em contato conosco.

Referências: Tudo Sobre Seguros, InfoMoney, MoneyGuru.

Financiamento: O que é e como calcular o INCC?

o-que-e-incc-como-calcular

Fonte: Asia Pacific Group.

Vai comprar um imóvel na planta e já tem o dinheiro todo para fazer o pagamento à vista? Ótimo! Neste caso você não precisa se preocupar com o INCC. Porém, se optar pelo financiamento, então essa pequena sigla passa a ser um fator de extrema relevância. É comum que muitos compradores a desprezem e depois tenham surpresas desagradáveis nas parcelas.

Bem, mas isso não acontecerá com você, porque hoje você vai entender direito sobre este assunto, inclusive saberá qual cálculo deve ser realizado para prever os valores adicionais que podem incidir nas quantias financiadas.

Faça um negócio consciente e evite dores de cabeça!

O que é INCC?

incc-o-que-e
Fonte: Build Houston Online.

Calculado mensalmente pela FGV – Fundação Getulio Vargas, o Índice Nacional de Custos da Construção é utilizado como base para calcular os reajustes nos valores dos imóveis habitacionais em construção. Tais reajustes acontecem porque os preços dos materiais, mão de obra e matéria prima sempre sofrem alterações ao longo do tempo. Assim, a obra tem de acompanhar esse movimento.

De forma resumida, o índice nada mais é do que a inflação sentida pelas construtoras. Logo, é crucial observar que o valor do montante final do imóvel não será igual aquele contido no momento da assinatura do contrato de compra.

Por isso é tão importante planejar o seu financiamento. Só assim é possível ter certeza de que realmente você poderá (ou não) arcar com as despesas geradas.

VEJA TAMBÉM:

+ Dicas para investir em imóveis

+ Como agir com as prestações atrasadas do financiamento

+ 5 cuidados ao comprar um imóvel na planta

Como calcular o INCC?

Para fazer esse planejamento é preciso calcular as incidências do INCC sobre as mensalidades do seu imóvel. Veja um exemplo:

  • Valor total do imóvel: R$300.000,00
  • Valor de entrada: R$100.000,00
  • Valor financiado: R$200.000,00
  • Valor das parcelas: 200 parcelas de R$1.000,00 (sem considerar cobrança de juros bancários e outros encargos)

Considere a seguinte tabela:

  • Jan/2015: 0,70%
  • Dez/204: 0,25%
  • Nov/2014: 0,30%
  • Out/2014: 0,30%

Geralmente, o reajuste é baseado no índice de 2 meses atrás. Então, considere:

  • Mês de pagamento: Fev/2015
  • Mês de referência: Dez/2014
  • INCC de dezembro: 0,25%
  • Essa porcentagem será calculada sobre os R$200 mil
  • Saldo devedor: montante totalizará R$200.500,00
  • Parcelas: também sofrem aumento e ficam em R$1002,50
  • Após pagamento da primeira mensalidade: R$200.500,00 – R$1002,50 = R$ 199.497,50

Indo para o próximo mês, temos:

  • Mês de pagamento: Mar/2015
  • Mês de referência: Jan/2015
  • INCC de janeiro: 0,70%
  • Essa porcentagem será calculada sobre os R$199.497,50
  • Saldo devedor: montante totalizará R$200.893,98
  • Parcelas: sofrem aumento e ficam em R$1009,52
  • Após pagamento da segunda mensalidade: R$200.893,98 – R$1009,52 = R$ 199.884,46

Como pôde ser notado, o reajuste é feito sobre o saldo devedor e não sobre o valor total do imóvel. A cobrança segue até a quitação ou término da obra.

Custos para comprar um imóvel: ITBI e Registro

custos-compra-imovel-itbi-registro

Fonte: LesFurets.com.

Não, a compra de um imóvel não se limita a quitar o preço apresentado ou financiado. Infelizmente há outros custos que entram em jogo na hora de ter a casa própria. Portanto, é altamente aconselhável estar atento à questão e preparar uma reserva a fim de não ser pego de surpresa.

Quando o assunto mexe com o bolso é melhor ficar de olhos abertos. A ideia é que você realize um sonho e não viva um pesadelo repentino. Nesse sentido, saber quais são as despesas adicionais, comuns ao processo, é algo de extrema relevância.

A quantidade de documentos e outras burocracias pelos quais é necessário pagar pode variar de município para município e de estado para estado. Hoje, no entanto, você vai ficar por dentro do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis e do Registro do Imóvel.

O que é o ITBI?

imposto-transmissão-bens-imoveis
Fonte: Greater Orlando Realty.

Imposto de Transmissão de Bens Imóveis é um tributo de competência municipal, ou seja, cobrado pela prefeitura de cada cidade – por isso sofre variações, mas, em geral, custa em torno de 2% do valor da casa ou apartamento. A quantia a ser contemplada é calculada com base na alíquota do imposto (determinada pelos municípios) e no valor venal do imóvel (preço de mercado).

É válido tanto para vendas, quanto para trocas. Não é cobrado em caso de herança ou doação e também não incide sobre a primeira aquisição de imóvel, Programa Minha Casa Minha Vida e unidades habitacionais financiadas pelo Fundo Municipal de Habitação.

O pagamento do ITBI só pode ser feito em uma única parcela e deve ocorrer no momento da ocasião da lavratura da escritura pública ou do registro da escritura, a depender da legislação municipal. Depois da impressão da guia, ele pode ser pago em qualquer agência bancária da rede conveniada para receber o tributo.

O que é o Registro de Imóvel?

Após ter pago o ITBI e já possuir a escritura em mãos, é hora de registrar o imóvel. O registro é o ato cartorial que declara quem é o proprietário formal e legal do bem em questão. Ele também registra se a propriedade está sendo transmitida de uma pessoa para outra.

O valor deste documento engloba a soma de várias taxas que variam de estado para estado, além de levar em conta o preço do imóvel. Neste link é possível conferir a tabela válida para São Paulo.

Faça suas contas e reserve um fundo para arcar com esses gastos. No final, vai dar tudo certo com um bom planejamento!

Referências: Vivo Seu Dinheiro, Konkero, JurisWay, EXAME.com.

Tudo o que você precisa saber sobre vistoria de imóveis

tudo-sbre-vistoria-imoveis

Fonte: Daily Blog Story.

Nada como a casa nova! Após tanto tempo aguardando a conclusão da obra é natural que as pessoas fiquem empolgadas e queiram logo pegar as chaves. Porém, ter pressa nessa hora é a maior armadilha com relação ao investimento.

Será mesmo que foi tudo feito conforme o planejado? Será que a construtora seguiu à risca o que estava no contrato? Será que não há nenhum defeito ou problema nas instalações?

Essas e outras perguntas devem ser respondidas durante o processo de vistoria do imóvel, o qual tem de ser realizado com tranquilidade, minúcia e planejamento. Há muitos pontos a serem analisados e, além dos detalhes, a euforia do momento é capaz de prejudicar significativamente a análise do futuro morador.

Dessa maneira, é melhor manter a calma e, sobretudo, buscar se preparar para a ocasião. Mas não se preocupe, você não está sozinho! Hoje nós vamos apresentar tudo o que você precisa saber sobre vistoria de imóveis.

Vem com a gente!

VEJA TAMBÉM:

+ Checklist: o que verificar antes e durante a compra do seu imóvel

+ 15 macetes para você encontrar o imóvel perfeito

+ 5 cuidados ao comprar um imóvel na planta

Agendamento da vistoria

É altamente aconselhável agendar a vistoria para um dia em que se tiver tempo de sobra para realizar uma análise atenta e crítica. Evite datas com muitos afazeres ou horários apertados. Opte pela tranquilidade. 

Ajuda profissional

Mesmo com um checklist cuidadoso, é difícil identificar sozinho questões de cunho técnico que possam apresentar, ou vir a apresentar, problemas na casa. Por isso, a melhor saída é estar acompanhado de um engenheiro ou um arquiteto devidamente preparado para executar os testes necessários.

Materiais de apoio

Para fazer uma vistoria é indispensável ter em mãos o memorial descritivo do imóvel, um documento que contém todos os itens que deveriam ser entregues. Além disso, é altamente válido portar folders, anúncios e outros materiais publicitários que também contenham as promessas do negócio.

Itens de inspeção

Montar um kit com as ferramentas necessárias para a checagem do local é de grande ajuda. Inclua itens como:

  • Papel e caneta: para anotações em geral;
  • Máquina fotográfica: para dispor de um registro fotográfico;
  • Balde e mangueira: para jogar água em ambientes com ralos e testar se ela escorre adequadamente;
  • Esquadro: para verificar se chão e parede formam um ângulo certo de 90°;
  • Fita métrica: para assegurar se todas as metragens foram devidamente cumpridas;
  • Carregador de celular: para conferir se as tomadas estão funcionando corretamente;
  • Lâmpada: para testar todos os bocais e ver se a luminosidade está satisfatória;
  • Espelho: para refletir partes que estejam no alto, ou de qualquer outro modo, fora de alcance;
  • Cabo de vassoura com borracha na ponta: para sentir o assentamento do piso;
  • Calculadora: para realizar possíveis contas necessárias.

Atenção a todas as partes

A fim de não deixar nenhum detalhe passar, desenvolva a vistoria e os testes por partes:

  • Instalações hidráulicas;
  • Instalações elétricas;
  • Pintura, revestimentos e acabamentos;
  • Esquadrias (portas e janelas);
  • Piso e contrapiso;
  • Rejuntes;
  • Forro ou laje.

Se a casa ou apartamento ainda não tiver energia no momento da visita, coloque isso no termo e proponha uma nova data para checar o funcionamento elétrico.

Checklist

Ao final da vistoria elabore um checklist com tudo o que precisa ser reparado ou adequado. Não caia no erro de contar apenas com a memória! Tire uma foto da lista para ter como cópia de segurança.

Assinatura do termo

Não fique intimidado com a presença do arquiteto ou engenheiro da construtora. Verifique e anote todos os itens necessários, tire dúvidas e certifique-se que o profissional inclua no termo de vistoria as observações que você encontrou. Só assine o documento quando julgar que está tudo em ordem. 

Solicitação dos reparos

É do direito do futuro morador solicitar que os reparos no imóvel sejam feitos antes da entrega das chaves. Elas só serão disponibilizadas quando o termo estiver assinado, ou seja, quando houver completa concordância sobre suas condições. Alguns consertos podem ser feitos de imediato, enquanto outros podem demorar um pouco mais. É importante levar isso em consideração.

Lançamento: Conheça o aplicativo da Imobiliária Gabriel!

Comprar ou alugar um imóvel é, sem sombra de dúvida, um grande passo na vida de uma pessoa, de uma família ou de um investidor. Por outro lado, encontrar a melhor opção exige paciência. É preciso pesquisar, pesquisar e pesquisar! Mas quem tem tempo para isso?

Bem, agora essa tarefa ficou mais fácil e rápida, porque graças ao lançamento do aplicativo “Imobiliária Gabriel” se tornou possível achar aquele imóvel tão sonhado diretamente pelo celular ou tablet. Assim, você pode realizar as buscas a qualquer momento, em qualquer lugar, sem comprometer seus afazeres cotidianos.

Disponível para dispositivos móveis com sistema Android ou iOS, o app possui uma interface intuitiva, que pode ser utilizada com tranquilidade mesmo por aqueles que não estão tão acostumados com esse tipo de ferramenta. Confira a seguir algumas telas:

app-imobiliaria-gabriel-telas12

app-imobiliaria-gabriel-telas34

Funcionalidades

Com o aplicativo “Imobiliária Gabriel” você pode:

  • Pesquisar por tipo de negócio: Venda ou aluguel;
  • Fornecer localização: Este recurso ajuda a mapear (de forma automática) os imóveis mais próximos de onde você está;
  • Buscar por região: Basta digitar o nome da cidade desejada;
  • Filtrar tipos de imóveis: Basta selecionar se você busca por: Apartamento; Kitnet; Flat; Casa; Terreno; Comercial, loja e ponto; Escritório; sala e conjunto; Prédio, galpão e armazém; Rural, chácara e fazenda;
  • Ordenar resultados por: Área; Relevância; Valor (menor-maior); Valor (maior-menor); Valor do m² (menor-maior); Valor do m² (maior-menor);
  • Definir detalhes do imóvel: Para tornar a pesquisa ainda mais precisa, é possível definir questões como: Área; Quantidade de dormitório; Quantidade de vagas na garagem; Valor;
  • Ver fotos: Corra o dedo para ver as imagens disponíveis;
  • Criar lista de favoritos: Um jeito fácil de separar os imóveis que achou mais interessante;
  • Receber notificações: Caso você agende uma visita, o aplicativo te lembra sobre dia e horário marcados;
  • Anunciar: É possível cadastrar um imóvel (para vender ou alugar) diretamente pelo aplicativo, sem complicação.

Veja abaixo a apresentação oficial encontrada nas lojas da Apple e do Google.

Descrição do aplicativo imobiliário

Com busca por geolocalização, o app “Imobiliária Gabriel” oferece a forma mais fácil, completa e moderna de buscar imóveis:

  • Acesse o mapa com a sua localização atual;
  • Selecione a opção explorar bairro, para conhecer os pontos próximos ao imóvel que lhe interessa, como alimentação, lazer, educação e tudo que você precisa;
  • Faça um comparativo de imóveis caso tenha dúvida de qual é o imóvel ideal;
  • Acesse todas as fotos e detalhes no imóvel.

Baixe gratuitamente!

Aproveite esses e outros recursos, que foram desenvolvidos especialmente para a sua praticidade (para baixar o app é só clicar em uma das imagens):

app-imobiliaria-gabriel-apple-store app-imobiliaria-gabriel-google-play

5 cuidados ao comprar um imóvel na planta

cuidados-comprar-imovel-planta

Fonte: 123RF.

O preço mais baixo do que muitas edificações já prontas, a possibilidade de planejar os pagamentos das parcelas e a liberdade para solicitar determinadas alterações são, sem dúvida, algumas das vantagens de se comprar um imóvel na planta. Entretanto, esse tipo de negócio apresenta vários riscos naturais de algo que, na verdade, ainda não existe.

O consumidor jamais deve se deixar levar pelas belas imagens projetadas, maquetes e toda a publicidade criada em torno de uma casa ou apartamento vendido na planta. Sua decisão tem de estar cercada por uma série de cuidados que visa assegurar todo e qualquer investimento que possa vir a ser feito.

A seguir você confere 5 providências essenciais.

1. Lembre-se das variações do INCC

imovel-planta-incc
Fonte: Money.usnews.

A cobrança de juros antes da entrega das chaves não é uma prática permitida, no entanto, os ajustes das parcelas com relação as variações do Índice Nacional da Construção Civil (INCC) são válidos desde o início, até a quitação total de um imóvel.

As correções pelo INCC incidem sobre o saldo devedor, aumentando a dívida ao longo do período. O ideal é que a parcela seja mais elevada para amortizar as despesas – em torno de 1% do valor do imóvel ao mês. Um saldo devedor muito alto pode impedir o financiamento.

Antes de assinar quaisquer papéis, exija informações mais precisas sobre os reflexos do índice. Se o financiamento for com uma construtora, peça uma projeção da primeira até a última prestação. Se ele for repassado para o banco, solicite um simulado.

2. Arquive as propagandas do negócio

Algumas construturas oferecem, ou pelo menos dizem oferecer, diversos benefícios, como armários planejados e quitação de condomínio e IPTU. Mas nem todas cumprem com o prometido após o fechamento do contrato. Pois é, na hora de chamar a atenção do consumidor “vale tudo”. Quer dizer, desde que ele possa provar a irregularidade. Sendo assim, é altamente aconselhável guardar todo o material de divulgação utilizado para promover a venda do imóvel. As informações contidas nas peças publicitárias podem servir de prova ante a Justiça.

3. Fique atento a taxas indevidas

Infelizmente existe uma série de empresas que embute taxas desnecessárias em seus contratos. Taxas de corretagem e assistência jurídica, por exemplo, são cobranças indevidas, mas comumente repassadas ao comprador. No primeiro caso, a responsabilidade recai sobre quem contratou o corretor, ou seja, a própria construtura. Já as tarifas relacionadas ao Sati (Serviço de Assessoria Técnica Imobiliária) servem para remunerar um serviço de análise de documentos oferecido pela companhia, mas não podem ser obrigatórias.

4. Pesquise a construtura

Mesmo que aquele imóvel pareça “a casa dos seus sonhos”, mantenha os pés no chão. Nunca tome uma decisão já na primeira visita a um stand, afinal, você não sabe com quem está lidando. Procure conhecer melhor a construtora, seus serviços e credibilidade. Vá fundo na pesquisa: confira, pelo menos, 3 empreendimentos concluídos pela empresa e que tenham sido entregues a, no mínimo, 1 ano. Vá até o local, converse com síndicos e moradores sobre a entrega da obra, a qualidade dos materiais utilizados, a fidelidade aos termos do contrato. Verifique também nos órgãos de defesa do consumidor se a construtura, imobiliária ou corretora possui ou não muitas reclamações.

5. Planeje considerando os riscos

A compra de um imóvel na planta exige um planejamento detalhado por parte do consumidor, abrangendo não apenas economias e prazos, como também os riscos envolvidos. Entre eles estão possibilidades como: não conseguir pagar as parcelas intermediárias juntamente com todas as outras contas do dia a dia; perda do emprego; falência da construtora; defeitos no imóvel pronto. É imprescindível ter sempre um plano B, C e D para evitar ao máximo sucumbir em meio a surpresas desagradáveis.

Nunca deixe de seguir esses passos quando for comprar um imóvel na planta. É a sua segurança e saúde financeira que estão em jogo!

Referências: UOL Economia, Economia – Estadão, EXAME.com.

5 tendências do mercado para quem procura imóvel em 2016

tendencias-mercado-imoveis-2016

Fonte: Mundo das Tribos.

Após um ano de muitas limitações, a população se prepara, mais uma vez, para lidar com um cenário econômico apertado. Aumento das taxas de desemprego, inadimplência e diminuição do crédito são alguns dos reflexos da chamada “crise”.

Por conta desse contexto de incertezas e instabilidades o setor imobiliário continuará sofrendo com as quedas em vendas, lançamentos e valorização dos imóveis. Por outro lado, esse fenômeno deixará os preços mais acessíveis ao consumidor que, então, poderá aproveitar o momento para conquistar a sua tão sonhada casa – seja comprada ou mesmo alugada.

Acompanhe na sequência algumas tendências do mercado de imóveis para 2016.

1. Preços de 2011

precos-imoveis-2016

De acordo com dados do relatório do índice FipeZap, divulgado em setembro de 2015, o preço médio do metro quadrado caiu 0,12% em muitas cidades brasileiras. Além disso, a valorização imobiliária foi de 1,32%, ficando abaixo da inflação (9,47%). Esse movimento indica o que os especialistas já alertavam: os preços dos imóveis vão cair de tal forma que serão comparados aos mesmos apresentados no final de 2011.

Os maiores beneficiados disso serão os clientes.

2. Aumento do poder de barganha

A baixa procura por imóveis, somada a grande quantidade de estoque, dará aqueles com poder de investimento um alto poder de barganha. Sim, os incorporadores estarão dispostos a negociar no momento da compra, sobretudo aquelas que forem pagas à vista.

3. Hora das promoções

Graças a grande oferta gerada pelo excesso de estoque, o consumidor verá em 2016 ótimas oportunidades em ações promocionais, como feirões com até 50% de desconto. A aquisição de apartamentos prontos pode apresentar vantagens imperdíveis, como preços bem mais em conta em relação aos praticados nos anos anteriores e entradas facilitadas.

4. Imóveis prontos e usados

Diferentemente do ritmo de desaceleração nos lançamentos da Construção Civil, a procura por imóveis prontos e usados deve continuar em ascendência. Isso porque muitas pessoas que sofreram com as mudanças nas regras de financiamento em 2015 tiveram que adiar seus planos. Dessa forma, consumidores que gostariam de ter comprado no ano anterior, vão acabar fechando negócio agora, em 2016.

Além desse comportamento, é possível observar uma elevação no número de indivíduos morando sozinhos. Entre 2004 e 2013, o índice subiu 35%. São pessoas dispostas a mudarem de cidade em busca de novas oportunidades de trabalho e estudo. São também jovens adultos que precisam deixar a casa dos pais em nome da independência. Há ainda os divorciados, cuja quantidade tem avançado aos poucos, porém de modo constante.

Para todos esses perfis, casas ou apartamentos prontos e usados, geralmente, são as melhores opções.

5. Momento do investidor precavido

É importante destacar que todas essas facilidades geradas neste momento só poderão ser realmente aproveitadas por aqueles que já contam com recursos para investir, ou seja, aqueles que não precisarão recorrer aos financiamentos imobiliários. Em épocas de retração, o poder de barganha de quem está (economicamente) precavido amplia, oferecendo-lhes melhores condições.

E você, está preparado para fazer bons negócios em 2016?

Conte pra gente quais são as suas expectativas. Deixe o seu comentário!

Referências: Digital ImobiPalestrante Guilherme Machado, villeImob, Blog Benvenuto.

Quer morar ou investir em uma cidade em pleno crescimento?

15 macetes para você encontrar o imóvel perfeito

Está na busca por um imóvel? Então anote nossas dicas e confira alguns macetes para encontrar o imóvel dos seus sonhos:

Imóvel

1 – Tire fotos do local
Uma boa pedida, ao conhecer um imóvel, é tirar fotos do local ou até mesmo gravar um vídeo. Dependendo de quantos imóveis você visita na mesma semana, é fácil esquecer detalhes ou confundir informações. Olhando as fotos com calma, você decide melhor qual imóvel seria ideal para o que você necessita.

2- Localização é muito importante
É muito importante se atentar à localização do imóvel antes de comprá-lo. Conheça bem a vizinhança, verifique a infraestrutura, passeie pela região para conferir quais serviços estão disponíveis e se há facilidade para locomoção.

3 – Faça uma avaliação com calma
Foi visitar um imóvel? Então preste bastante atenção aos detalhes! Leve uma fita métrica, um bloquinho e anote tudo: as dimensões de cada cômodo, se há rachaduras, umidade, algum odor diferente, quais são os pontos positivos e negativos. Isso ajuda bastante na organização e a clarear suas ideias a respeito do local.

4 – Leve um profissional com você
Ajuda profissional é essencial antes de adquirir um imóvel. Peça ajuda de arquitetos ou engenheiros e leve-os até o imóvel que você quer comprar. Eles podem verificar os aspectos técnicos de uma construção que muitas vezes passam batidos para os compradores.

5 – O imóvel será bom para você no futuro?
Antes de tomar a decisão, lembre-se de que fazer a escolha certa agora evita que, futuramente, você precise recomeçar do zero. O imóvel pode ser adequado para você hoje, mas e nos próximos anos? Você pretende ter filhos, aumentar a família? Tudo deve ser levado em consideração.

Comprar imóvel

6 – Visite o imóvel em diferentes horários
Se você gostou de um imóvel, visite-o em diferentes horários do dia, para conferir o movimento, se há muito barulho na região, quais estabelecimentos do bairro abrem, os horários de pico… conferindo de manhã, tarde e noite, você aprende mais sobre a localização do imóvel.

7 – Novo ou usado?
Pense nos prós e contras de um imóvel novo ou usado: qual compensa mais? Veja qual combina mais com o seu perfil: o imóvel usado, por exemplo, pode precisar de reformas, mas geralmente o espaço é maior. Os novos, apesar de estarem com quase tudo em ordem, muitas vezes oferecem pouco espaço. Atente-se a estes detalhes antes de fazer a compra e veja qual compensa mais financeiramente.

8 – O imóvel tem um preço que você pode pagar?
Este é um detalhe importantíssimo, mas que muitos podem esquecer de levar em consideração. Você tem os recursos necessários para pagar este imóvel? O custo de vida da região cabe no seu orçamento? Avalie sua capacidade de arcar com o seu custo de aquisição. Caso seja feito um financiamento, o ideal é não comprometer mais de 20% do orçamento mensal com a dívida.

9 – Confira a área total do imóvel
Muitas vezes os cômodos do imóvel são dispostos de um jeito que não agradam, mas se a área total for interessante, é possível reformá-lo e deixá-lo com o seu gosto. Sendo assim, evite comparar imóveis apenas pelo número de cômodos.

Comprar imóvel

10 – Não demore muito para se decidir
Por mais que valha a pena visitar muitos imóveis para escolher aquele que é ideal, se você encontrou algum interessante, não demore para efetuar a compra. Contate a corretora ou os proprietários e entre com uma proposta. Se demorar muito, pode perder uma boa oportunidade.

11 – Especule o valor da região
Especular pode te ajudar a ter uma pequena noção do futuro. Observe se a região está recebendo novos empreendimentos, como shoppings, mercados e outros tipos de estabelecimentos. Confira se as construtoras estão investindo na área do seu imóvel. Isso pode dar uma boa ideia se a região está crescendo e se desenvolvendo, o que é ótimo para o seu imóvel.

12 – Imóvel na planta
Se você optar por adquirir um imóvel na planta, lembre-se que os custos com iluminação, pisos, armários e outros itens equivalem, no mínimo, a 20% do valor do imóvel. Dessa forma, sempre verifique o memorial descritivo do apartamento para conferir o custo adicional para equipar o imóvel e se a construtora se compromete a entregar.

13 – Converse bastante com os corretores
Tente fazer amizade com o corretor. Demonstre interesse e deixe claro que você está com vontade de investir. Assim, ele pode ajudar a encontrar o imóvel que mais combina com seu gosto e estilo.

14 – Trate bem os vendedores
Conversar com os vendedores é essencial: descubra por que eles estão vendendo, faça vários tipos de perguntas, esclareça dúvidas sobre vizinhos, serviços da região e como funciona o bairro. Se eles não responderem com clareza, diga que você vai passear pela região e perguntar aos vizinhos.

15 – Regularidade do imóvel
Faça uma análise da matrícula do registro de imóveis, que pode ser obtida com o proprietário do imóvel ou no cartório de registro de imóveis da região. Confira todos os detalhes do contrato e peça ajuda de um advogado para avaliar todos os documentos envolvidos e o que for melhor para os dois lados.

Quer morar ou investir em uma cidade em pleno crescimento?

Como declarar o aluguel no Imposto de Renda

Imposto

Tem dúvidas sobre como declarar o aluguel de imóveis no seu Imposto de Renda? Confira algumas dicas da Gabriel Imobiliária para tornar tudo mais simples.

1) Você pode excluir dos rendimentos de aluguel os valores do IPTU, desde que o encargo tenha sido do locador, seja o valor referente ao ano todo ou somente parte dele. Importante: isso vale também para o imposto parcelado!

2) Você não pode deduzir as despesas com advogado para retirada de inquilino ou reformas para futuro aluguel, pois não existe previsão legal para isso.

3) Se você é proprietário de um imóvel que está sendo alugado e mora de aluguel em outro imóvel, pode até pensar em deduzir o valor dos aluguéis recebido/pago, mas isso também não pode ser feito. Só pode ser excluído o aluguel pago pela locação de imóvel sublocado.

SAIBA MAIS

+ 5 DICAS PARA COMPRAR UM IMÓVEL USADO
+ COMO USAR O FGTS PARA COMPRAR O SEGUNDO IMÓVEL
+ CHECKLIST: O QUE VERIFICAR ANTES E DURANTE A COMPRA DO SEU IMÓVEL

4) Já se você recebeu o usufruto dos rendimentos de aluguel de um imóvel, confira a forma correta de tributar:

-> COM escritura pública averbada no registro de imóveis: seu parente deverá, ao relacionar o imóvel em sua Declaração de Bens e Direitos, informar a constituição do usufruto para você.

-> SEM escritura pública averbada no registro de imóveis: seu parente deverá, ao relacionar o imóvel em sua Declaração de Bens e Direitos, informar que os rendimentos respectivos foram doados para você.

Ficou com alguma dúvida? Utilize o espaço de comentário para falar conosco!

Quer morar ou investir em uma cidade em pleno crescimento?

A Gabriel Imobiliária lhe deseja um Feliz Natal e Ano Novo!

Decoração Natal

O fim de ano chegou, e com ele o momento de festejar! É momento de agradecer todos os momentos bons vividos ao longo do ano e buscar mudanças para o ano que se aproxima. A Gabriel Imobiliária deseja a todos um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de transformações, mudanças e boas energias ao lar de todas as famílias!

Com o Ano Novo chegam novas promessas: é hora de planejar, projetar, arquitetar e desejar coisas boas e revigorantes. Que seu ano seja recheado de sabedoria, serenidade, fraternidade e amor.

“Não reclames, nem te faças de vitíma;
Antes de tudo, analisa e observa;
A mudança está em tuas mãos,
Reprograma tuas metas,
Busca o bem e viverás melhor,
Embora ninguém possa voltar atrás e
fazer um novo começo,
Qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim!”
Chico Xavier